Arquivo da categoria 'Relacionamentos'



15 jun 2012
Falsos desentendidos
         Quantos desencontros a vida proporciona até nos encontrarmos?
— Caramba, ela está bem ali! Será que ela me viu? Será que ela me viu? Preciso fazer alguma coisa! Preciso me esconder em algum lugar! Mas onde? Onde? Já sei, vou folhear um livro qualquer que estiver aqui na mochila! Droga, mas ela sabe que eu odeio esses livros de filosofia que meu pai vive deixando na minha mochila. Quem se interessa por essas coisas? Um monte de teorias de uns barbudos que não tinham o que fazer e ficavam na praça, conversando fiado. Ah, que se dane, vou abrir um e fingir que estou lendo mesmo!
— Não acredito, até aqui? Nossa, será que ele me viu? E agora? O que eu faço? Onde eu vou me esconder? Ah, vou fingir que estou lendo esses panfletos que ficam acumulados aqui na minha bolsa, não sei pra quê pego isso. Droga, ele sabe que eu detesto esses panfletos, as pessoas sempre jogam no chão e é por isso que as ruas ficam com tanto lixo. Mas não aguento, fico com pena dos panfleteiros, estendendo a mão ali e ninguém estende de volta. Mas não tenho outra escolha, vou fingir que realmente estou vendo um!
Eles se esbarram. Ela derruba o livro dele e ele amassa o panfleto dela. O contato visual por mais de cinco segundos é inevitável e as palavras saem quase na mesma hora.

— Oi!
— Oi!
— Que coincidência? – Ela sabe que eu não acredito em coincidências.
— Né? O destino é assim mesmo. – Ele sabe que eu não acredito em destino.
  

E eles se encontraram de novo. E se casaram, de novo. Ela decididiu fazer publicidade. Ele decidiu fazer filosofia. E todos os dias eles se escondem um do outro por aí e se encontram de novo em um banco de parque ou uma mesa de bar. Se escondem, pra aumentar ainda mais a vontade de achar, um ao outro. 





20 jul 2012
4 dicas para melhorar o seu relacionamento

Só quem já namorou sabe que manter um relacionamento saudável e completo é uma tarefa muito dificil. Ciúmes, ex-, distância, falta de tempo.. enfim, são vários os motivos para brigarem. E no final das contas, você percebe o quão inutil foi a briga. Pensando nisso trouxe então 4 dicas para melhorar o seu relacionamento. Espero que isso ajude vocês a ficarem mais tranquilas no relacionamento e aproveitarem cada minuto ao lado do gato.
Dica 1: Sejam sempre companheiros
Para que qualquer relacionamento seja especial e divertido, é necessário que você e seu namorado sejam acima de tudo companheiros. Quando vocês são amigos antes de mais nada, tudo parece se encaixar sozinho. Companheiros são pacientes e sempre dão apoio um ao outro. E o mais importante, estão sempre ligados, partilhando os momentos felizes e sempre apoiando nos momentos difíceis. Se vocês são bons companheiros sabem muito bem do que estou dizendo, é um esforço que vale a pena. Depois que aderi a essa estratégia para o meu relacionamento, percebi que as brigas diminuiram e comecei a aproveitar muito mais o tempo que ficamos juntos.

Dica 2: Esqueça o passado
Para que ficar lembrando algo que já aconteceu, ainda mais quando a lembrança não é nada agradável? Já parou pra pensar, se esse não é o motivo por seu relacionamento não está indo bem? Toda vez quando você começa a lembrar de algo que aconteceu, você se aborrece rapidamente e logo estará a um passo de fazer tempestade em copo d’agua sem motivos. É claro, ninguem é perfeito e todos nós cometemos erros sempre. Se a pessoa que você ama cometeu algum erro, o melhor que você tem que fazer é ser carinhosa e oferecer apoio. Dessa forma seu parceiro ficará á vontade para poder discutir qualquer problema com você. Então já está na hora de você de desgrudar dos problemas passados. Pare de ficar alimentando sentimentos negativos, esqueça o que passou e siga em frente. Em troca, terá um relacionamento saudável, honesto e cheio de amor!

Dica 3: Faça Elogios
Elogios são sempre bem vindos, principalmente quando são ditos por pessoas que amamos. A maioria das pessoas gostam de ser elogiadas, e dificilmente fazem elogios. Dentro do relacionamento o grande problema é que a maioria das mulheres não recebem os elogios que gostariam de receber, especialmente de seus parceiros. Se vocês já fez de tudo para ele ter essa atitude e nada aconteceu, talvez seja a hora para você fazer. Pode parecer brincadeira, mas em alguns casos funcionam bem (pelo menos comigo funcionou). É claro, sem deixar de ser sincera. Elogie algo que ele fez, ou falou. Alguma coisa agradável ele deve fazer. Pense nas qualidades e em tudo o que ele jaz fez para te fazer feliz e completa. E na proxima vez que o encontrar, surpeenda-o com elogios (e beijos é claro!).

Dica 4: Pare de querer que ele seja diferente
Pra mim, essa é uma das dicas mais importantes. Nada nunca está bom o suficiente para nós, ainda mais quando se trata de relacionamento. Sempre acreditamos que podemos melhorar algo ou alguém. Esse é um dos maiores erros entre os apaixonados, querer sempre “melhorar” alguma coisa no parceiro. E enquanto o parceiro não se modifica, você continuará insatisfeita e irá começar a acreditar que enquanto ele não mudar você será infeliz. Pare de querer que seu parceiro seja diferente e comece a pensar “O que aconteceria se você resolvesse ama-lo do jeito ele é?”. O amor que você tanto espera sentir está ao seu alcance, você só precisa parar de querer que ele seja diferente.

Lembrem-se sempre: o mais importante é que tenha amor, respeito e cumplicidade. Diga o quanto o ama. Valorize a pessoa que está ao seu lado e seja feliz!

E então, como anda o relacionamento de vocês?




29 jun 2012
Esperar: a primeira lição
Imagina o intervalo de tempo de uma foto pra outra…
Aprendi com o tempo que, quando uma mulher demora a se arrumar, você deve se sentir lisonjeado, afinal de contas, ela está se arrumando pra sair com você. Bonito, bonito, ótimo ponto a ser observado. Mas, por mais que esse seja o foco em que o homem precisa estar centrado, diz aí, quem és tu, alma pacífica, que gosta de ficar esperando? Tudo bem, existem excessões até quando o assunto é esperar. Existem, de fato, pessoas que não se importam, que nem percebem que o tempo passou, que acham que o sentimento de espera é legal. Vai entender.

Vou confessar. Sou um esperador nato. E desde sempre as pessoas deitam e rolam na minha (EPA!) virtude de esperança. No inicio dos meus tempos, quem me fazia esperar era o meu irmão mais velho, com os tão famosos “10 minutos”. Mal sabia eu, que estes 10 minutos seriam válidos em qualquer território do planeta. Esses mesmos 10 minutos foram repetidos por diversas outras pessoas em minha vida. Com o tempo, percebi que nunca eram 10 minutos. Assim como Ela não estava “quase pronta”. Mas vai falar! Fala, besta. Fala pra você ver. Esperai, amigos. Esperai. Agradeço desde já meu ilustríssimo irmão Vinny por todo o treinamento ao longo da minha vida.

Depois de um tempo, comecei a ficar indignado com todo esse processo de espera. Mesmo com o ensinamento do meu irmão (involuntário ou não) eu não conseguia me conformar. Comecei a me sentir um trouxa, por ter que esperar por horas uma pessoa. Fui atrás de outros sábios, em busca de respostas, algo que fizesse acreditar que eu não era um trouxa e sim uma pessoa pontual, de acordo com seus compromissos, responsável e que aquilo era bonito, algo para poucos. Mas não. Não achei nada.

Tomar um café, conversar com animais, vale tudo no período da espera.


Mas eu descobri também, que nem por isso eu sou uma pessoa tão ruim assim. Descobri que não sou o único que odeia esperar e se sente um otário assim. Melhor ainda, descobri que não sou tão trouxa assim, isso é amor! Tá bom, o amor nos deixa bem trouxas, eu assumo. Mas é um trouxa bonitinho. Ou não? Tá bom, também não existe trouxa bonitinho, trouxa é trouxa, espera mesmo e fica quieto ainda. Porque, você lembra lá no inicio do post o que o Professor Almi disse? Sinta-se lisonjeado, afinal de contas, ela está se arrumando para você. Desconsidere também esta informação, eu estava sendo positivo, mas preciso abrir o jogo para vocês. A mulher se arruma pros outros, mais precisamente, para as “outras”. Para outras mulheres. Esse é o problema de ser um pesquisador, como eu, são tantos conselhos, tantos sábios, que você sabe mais o que fazer.

E o pior é que não tem jeito, vai ser sempre assim mesmo, então, ela não vai chegar em 10 minutos, ela não está quase pronta e ela não vai ficar linda para você. São anos de ensino de paciência, as donas da escola da esperança, formando monges por séculos. E formando frustados também, futuros estressados e putos da vida. E a Verônica ainda disse que depois de um tempo a gente aprende. Porra, Verônica! Já passou muito tempo, não acha não?



27 jun 2012
Poema sem você

Afogo-me enquanto anoiteço

Até amanhecer, ou mais tardar.
Noite após noite
Esquina após esquina
Embriaguez após embriaguez
Mau amor após o mal amante.
Nada é pouco importante
Nada é tão importante
E a ausência de forças pra viver, outra vez me vence
E faz-me jogar pelo mundo
Por mais uma madruga
Por outra vez
E outra, e outra.
Repugno-te
E no instante seguinte almejo-te.

Afogo-me n’outro copo 
E no instante seguinte
Vou conversar com o meu espelho
Como quem busca dentro de si mesmo as respostas
De tudo aquilo que se passa a sua volta
Tudo aquilo que é impossível de explica em um poema.
Tudo aquilo que ainda é você
E que jamais deixará de ser.