• Beleza
  • Cultura
  • decoração
  • DIY
  • Meu Negócio
  • Moda
  • Receitas
  • Videos
  • junho 11, 2012

            É amanhã. O dia mais esquecido por uns e mais esperado por umas. É hoje que você vai buscar aquela aliança que você encomendou, ou esqueceu de encomendar. É hoje que você vai fazer a reserva naquele restaurante legal que ela gosta, ou vai esquecer que restaurante era aquele. É hoje que você vai procurar a receita daquele omelete afrodisíaco ou vai se lembrar que não consegue nem quebrar um ovo. 
            É hoje que o palhaço começa a arrumar as malas, porque o circo vai pegar fogo.
    Amanhã é dia dos namorados, uma data criada pela mídia para movimentar ainda mais o comércio, ratificar a solidão de alguns e causar alguns probleminhas.
            Apresento-lhes uma uma trilogia de crônicas que eu escrevi há algum tempo, para deixar vocês mais ansiosos para amanhã.
    Todo mundo esbanjando malícia amanhã.

    Pequenos contos sobre esse sentimento gostoso e filho da puta, chamado: amor.

    I

    Em plena era digital, com todos esses gigas e downloads, colesterol e pedofilia, todo mundo quer carinho.

    — Então você quer falar de amor?
    — É só o que eu quero.
    — Pois bem, falemos de amor.
    — Se você me ama de verdade, como você sabe que é amor?
    — Eu sinto como se estivesse sendo alvo de vários cupidos sacanas que vendaram meus olhos e me deram um cigarro, mas esqueceram de me dar o direito de ultimo pedido.
    — E se pudesse fazer seu pedido, qual seria? – Dizia ela, sorrindo, esperando ouvir alguma coisa.
    — Seria que eles me fuzilassem até a morte. Ah, e um CD do Jorge Vercilo, claro.

    Eu tô falando de amor, e não da sua doença. Eu tô falando de amor, e não do que você pensa.”


    (Continua…)

    junho 10, 2012

      Ela é minha fuga, meu refugio, a base mais firme, como uma coluna que sustenta todo o peso do cômodo sozinha,bem no centro de tudo. Sendo tudo isso com um olhar de anjo, um jeito desconcertantemente sensual e um sorriso inexplicavelmente encantador.O centro do todo universo, a razão da existência do sentido de todas as coisas, a fração que faz de mim 1/2 pessoa.Porém um meio alguém tão feliz e inteiro, quanto desconectado de todos os males mundanos.
      Por ela eu busco forças pra não cair, pra que ela não queira me segurar no colo para impedir meu choro e que ela não precise ser (de novo) o impulso que me faz sair do fundo do poço. É que ela já é tudo pra mim, só de existir, então não quero que ela faça ou seja nada mais do que sua própria existência, do que o fluxo perfeito de todas as coisas,do que uma harmonia em um olhar horizontal que me faz crer em todas as coisas boas que ainda existem.
      Ela a única força que vence a gravidade e me faz sair por ai, flutuando, por causa daquela gargalhada gostosa que zera a gravidade, que faz sentir-me um pássaro bobo, que acabou de saltar do ninho. Me dá uma vontade de paralisar o mundo inteiro naquele momento e espalhar a gravidade zero do sorriso dela pelo resto mundo, pra que todos consigam se sentir assim, como eu, abobalhados fora do ar.

      Então, eu cheguei em casa às 17horas, cansado, com um fardo de estresse mais denso do que os buracos da camada de ozônio. Abri a porta e já senti o cheiro daqueles incensos fedorentos dela, fiz a aquela cara da bravo e me virei para procurá-la, já ia eu reclamar mais uma vez daqueles malditos incensos.
      E lá está ela, cantarolando uma musica do Caetano, na cozinha, enquanto faz um chocolate quente pra mim. E irresistivelmente abri um sorriso, como quem mergulha naquela atmosfera dela, me aproximei, dei-lhe um beijo na nuca e ela se virou para mim e disse “eu senti sua falta o dia inteiro!” Pronto, a gravidade está zerada. É ela quem me faz conseguir sorrir, apesar de tudo e todos, apesar de nada está indo bem. Ela está aqui, então nada mais importa, pois ela e o sorriso dela são tudo o quê importa.

    junho 9, 2012


    Eu preparei para vocês uma lista de músicas que vão desde a musica nacional aos clássicos do cinema, procurei musicas que não fossem muito conhecidas, já que a intenção é desvendar, para vocês, uma nova brecha do universo musical. Deslisem seus ouvidos por estes sons e relaxem!

    Tesouro do rock nacional: Cavalos Calados, versão interpretada por Cazuza.

    Essa é uma musica que foi escrita pelo imortal Raul Seixas , nessa versão é interpretada por outra lenda poética da musica brasileira,Cazuza. A musica faz parte do album “A Pedra do Gênesis“, que foi gravado em 1988, a letra é atrevida e bem sugestiva, não acham?

    Rap Romântico: Mulher – Projota



    Indo dos ícones da música nacional a um dos nomes do momento “Mulher” é um Rap diferente, leve, bem diferente das letras de Rap que tem por ai, realmente vale à pena conferir esse som!


    Direto dos musicais: Something, versão Jim Sturgess (Tradução aqui)


    Something é uma musica que ficou muito conhecida através dos Beatles, porém, ela foi escrita para Pattie Boyd, na epoca esposa do George Harrison, compositor, fofo, não? Essa versão de Jim é a minha preferida, foi gravada para o filme Across the Universe. Ufa, que nó! Uma verdadeira caricia aos ouvidos dos apreciadores das boas musicas, maravilhosa!


    Um som triste e apaixonado: O mundo é um moinho – Cartola



    Cartola é um romântico melancólico, dos mais dolorosos. E quem não aprecia uma musica sensível assim, ao menos para os momentos compatíveis? Ahhhhhh Cartola, como você me faz sofrer!

    Importando musica:
    A Minha Menina, versão The Bees




    Eu sou uma fã da musica nacional e ouvir essa versão de “A Minha menina” me deixa arrepiada ao ouvir uma banda tentando pronunciar o português para cantar uma de nossas musicas, fora que este sotaque é uma delicia, não é?


    Uma brisa pros ouvidos: Forever – Ben Harper (tradução aqui)



    Ben é um cantor de voz suave, com toca um som bem leve e com uma letra tão bonita como “Forever”, tem como não ser tocado por essa musica? Um conjunto de ingredientes excelentes!


    Clássico da bossa nova: Tristeza – Vinicius de Moraes e Toquinho



    Apreciar Bossa Nova é uma arte, Tom Jobim e Vinicius Morais praticam muito bem à mesma, conseguem ser amantes e interpretes da musica, não é incrível? Esta musica é um dos clássicos deste estilo musical, com essa dupla interpretando então, é de mastigar o coração!



    Som poético: Mistério do Planeta – Novos baianos


    A letra da musica interpretada pelos Novos Baianos poética e tão bem escrita que ao ouvir é possível até de esquecer de ouvir o som dos instrumentos, composta por Luiz Galvão e Moraes Moreira, a mu
    Nem tão famosos: Dois risos, versão interpretada por Moveis Coloniais Acaju e Leoni
    ica d


    Não se assuste se você nunca ouviu falar desta banda, na verdade ela é pouco conhecida mesmo, somente eu e mais umas meia duzias de fãs ouvem. Essa versão da musica conta com a participação (virtual) de Leoni, o clipe é uma graça, foi ao ar no dia dos namorados, fazem um monte de coraçõezinhos baterem mais forte com as declarações amor, uma graça!

    Pra fechar com chave de ouro: Moon River, versão interpretada por Audrey Hepburn (tradução aqui)




    Bem, pra quem não conhece Audrey, ela é uma das divas do cinema de Hollywood, a protagonista do clássico “Breakfast at Tiffany’s” e esse é um trecho do filme onde ela aparece cantando pela primeira vez na sua carreira e cá pra nós: lindamente! Esse sim, é um som à altura da nossa diva.

    Espero que vocês ouçam e aproveitem bastante o som desses maravilhosos artistas, pessoal, um ótimo sábado à todos vocês!

    Instagram

    Instagram has returned invalid data.
    Design por Susan Santos | Programação por Sara Silva subir